Ocorreu um erro neste dispositivo

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Poderemos pedir ajuda a amigos ou parentes falecidos?

Perante a questão, "poderemos pedir ajuda aos familiares ou amigos que
tenham passado para o mundo espiritual?", não é difícil pensarmos que
tal ajuda possa ser pedida, já que muitas vezes ouvimos falar – mesmo
na literatura espiritualista – de parentes ou amigos desencarnados que
recebem missões de auxílio aos afetos que deixaram no plano das
formas.

Ora, de facto, é comum que – até por uma questão de proximidade
vibracional, de interesses e de sentimentos – espíritos do mesmo grupo
familiar terreno – e, ao mesmo tempo, do mesmo grupo familiar
espiritual – possam auxiliar membros da mesma equipa evolutiva, ainda
a estagiar no plano físico.

Isto, porém, acontece segundo determinação dos planos superiores que
sabem se determinada criatura tem condições de auxiliar a outra, coisa
que, nós próprios, no mundo físico, não temos condição de saber com
segurança, ainda que determinado parente ou amigo falecido seja, aos
nossos olhos, modelo de virtude e de probidade.

É certo que, não raro, alguns de nós sentem que uma avó, um tio, um
amigo, possa estar ajudando, de algum modo, porque até já fazia isso
no mundo material e, sentimos nós, pode continuar a fazê-lo no mundo
espiritual. Realmente, é bem possível que tal possa acontecer. No
entanto, não podemos ter a certeza absoluta, a menos que a entidade em
questão nos apareça e comunique claramente estar a ajudar.

Assim sendo, sem colocar em causa os sentimentos que nos levam a
atribuir aos nossos "mortos" queridos as intuições, ou outro tipo de
apoios que sentimos do mundo invisível, parece mais seguro que à
questão que dá título a este tópico, nos vejamos inclinados a
responder "não", para tentarmos evitar que, de modo geral, as pessoas
possam pedir auxílio aos afetos que partiram para a vida nova, a fim
de que não se dê o caso de tal espírito não estar em condições de
atender e ficar em posição de desequilíbrio íntimo por não poder
auxiliar.

Como nota final, diria ainda que o melhor é pedirmos auxílio ao nosso
anjo da guarda, a Jesus ou a Deus – sem esquecer os santos ou outras
entidades espirituais a que as pessoas possam ser devotas – uma vez
que tais pedidos acabam por ser atendidos pelo mundo espiritual
superior, através daqueles que estejam em melhor posição para
ministrar a ajuda necessária. E, realmente, muitas vezes, esses
instrumentos de atendimento acabam mesmo por ser amigos ou parentes
que, na vida maior, estão em condição de nos assistir...

Sem comentários:

Enviar um comentário